Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \29\UTC 2010

Eu trabalho em um restaurante em Londres e a primeira pergunta que faco para os clientes eh ‘Eat in or Take away?’. Na maioria dos restaurantes de preco medio em Londres, voce irah encontrar placas mostrando opcoes para take away ou ateh mesmo precos mais vantajosos para essa opcao bastante popular por aqui. Nao raro, voce verah um engravatado ou uma moca elegante tirar da pasta um sanduiche para comer no metro, ou uma sacola de frango do Nando’s, ou hambuguer do McDonalds e abocanhar pelo meio da rua. Cafe entao…da-lhe copao de Americano a estilo Starbucks ou qualquer rede de cafeteria por aqui para tomar pelo caminho.

Comida em Londres eh assim. Take away em seu percurso corrido do dia-a-dia. Talvez porque seja uma cidade de pessoas bastante ocupadas e hardworking, como toda cidade grande e polo financeiro/cultural/comercial como eh Londres. Mas tambem, vamos combinar, a comida londrina eh tao ruinzinha que nao vale a apreciacao. Comida aqui eh para sobrevivencia. Engole porque nao tem gosto de nada que lhe pareca bom.

Agora, Paris, ah Paris eh diferente. Raro encontrar cafeterias com opcoes take away. Restaurante entao, nem pensar. Soh as patisseries mesmo. Ao inves das placas de take away nos restaurantes, voce encontra em quase todos as placas dos precos promocionais do lunch menu (ou dinner menu). Eh um combinado que inclui entrada + prato principal + sobremesa e as vezes, ateh o cafezinho (e com cafe bom feito o nosso). Isso significa um almocao. Voce senta e realmente aprecia a comida com tempo, prato por prato, sem pressa, com prazer e devocao. Alem dos combinados para almoco e jantar, eles ainda tem combinados para cafe da manha (suco de laranja, bebida quente e croissant), e cafe da tarde (bebida quente e doce). 

Se eu nao tivesse feito mais nada alem de comer em Paris, jah teria valido a viagem.

Anúncios

Read Full Post »

From Paris II

bicicletas podem ser alugadas na rua em qualquer ponto da cidade

Read Full Post »

From Paris

Acho que as fotos irao falar por si. Paris eh Paris. Lindissima. Com charme, elegancia e todo o ar ‘posh’ que os filmes mostram. Cheguei dois dias antes de comecar a primavera, e a cidade pontualmente entrou num clima primaveril. Flores na Champes Elise e nos jardins de Luxemburgo comecando a despontar, casacos pesados deixados em casa, cafes lotados com mesinhas para fora, jovens ao redor das fontes em cadeiras como que de praia, e muitas bicicletas e patinetes pelas ruas.  Gracioso.

Me encantei com o luxuoso riverside do Sena. Ha pontes suntuosas com ouro e marmore, como a Alexandre III, e em todo seu percurso tem predios com arquitetura greco-romana, igrejas goticas com vitrais riquissimos, como a Notre Dame, e Saint Chapelle, meninas lindas e eleganterrimas, calcadas largas e lojas luxuosas na Champes Elise. Monumentos e mais monumentos que fica dificil escolher o que visitar e a cada visita seu queixo tomba um pouco mais. Boa visao aerea da cidade em varios pontos como a Torre Eifel, Arco do Triunfo, e Torre de Notre Dame. E fotos permitidas para registrar o luxo de Versalhes e as obras-primas do Louvre (porem proibidas no Museu D’orsay, um outro museu maravilhoso, com obras de Gauguin, Van Gogh, Monet, Manet, e Renoir). Comida boa, muito boa, a qualquer esquina.

Paris tambem tem calcadas sujas ao se afastar um pouco dos pontos turisticos. Jah os pontos turisticos sao abarrotados. Filas e mais filas (gastei 3 horas na fila do elevador da Torre Eifel), escadas e mais escadas para acabar com nossas pernas, e uma multidao incomoda de ambulantes que vendem souvenirs (chaveiros baratissimos, por sinal) em qualquer lingua que voce desejar, e  ciganas que querem ler sua mao. Alem disso, ha muitos homeless pelas ruas e metro. Dah uma sensacao de inseguranca que nao ha em Londres. Em Londres, os
turistam passeiam com aparente tranquilidade pelas ruas com suas cameras penduradas ao pescoco, o que nao ocorre em Paris. 

Os parisienses me surpreenderam positivamente. Diferente de todas as coisas que eu jah tinha ouvido, a maioria foi muito gentil. E nao digo isso sobre funcionarios de lojas e restaurantes, mas sobre pessoas que ofereciam ajuda com minhas malas no metro, ou prontamente comecavam a falar ingles para me explicar sobre o funcionamento o transporte ferroviario e ateh mesmo sobre as bicicletas que podem ser alugadas em qualquer ponto da
cidade (o q eh um charme). Eu tentava um ‘pardon’ e mais outras 3 palavras em frances e todos jah comecavam a falar em ingles atenciosamente, fossem passantes na rua, fosse o porteiro dos museus e igrejas, e ateh a cigana na porta de Notre Dame (seria a Esmeralda?).

Abaixo fotos das minhas ferias curtinhas e alucinadas em Paris (porque fizemos valer nosso Pass Museum)

Michelangelo no Louvre

Louvre

Read Full Post »

A saudade aumentou

Estou de volta a Londres, e minha mae e irma a SP. Parece que a saudade ficou maior ainda. Ontem, encontrei a Laura e a Ligia, amigas de uma amiga no Brasil que chegaram ha uns 10 dias em Londres. Notei como estar com a irma por perto faz uma diferenca danada. Elas estao super bem, super adaptadas a cidade, espertissimas. Tao diferente de mim quando cheguei, perdida e solitaria. Senti mais saudade ainda da minha irmazinha, de seu carinho e sua perspicacia. Eh bom saber que dah pra viver por si, que meu jeito tranquilo tambem ajuda a resolver problemas, mas eh muito especial ter os mimos e cuidados que soh as duas mulheres mais importantes desse mundo tem por mim.

Read Full Post »

Ele, o inverno, foi embora. E eu ficarei. Esse blog e essa viagem iriam terminar dia 28 de marco, data que estava marcada meu voo de volta  para o Brasil, mas eu nao irei embarcar nele. Fico em Londres por mais 5 meses, e continuarei contando tudo aqui.

Pensei e repensei muito. Amigos sensatos do Brasil e feitos na Inglaterra me apoiaram, minhas chefes sensacionais na empresa inclusive. Entao nao tenho mais duvidas de que essa eh uma boa opcao, quer dizer, a melhor opcao nesse momento.

Esses 5 meses em Londres nao foram suficientes para deixar meu ingles fluente como eu desejava. Melhorou certamente, mas acredito que ha muito a avancar. Tenho novos cursos em vistas, novas viagens, e ainda estou completamente apaixonada por Londres. Acho que isso tudo tinha de continuar. E jah que todos os ventos estao a favor, irei continuar aqui ateh o dia 25 de agosto.

Ps sobre a paixao em Londres: Estou passando uns dias em Paris com minha familia. A cidade eh linda e estamos encantadas. Mas sabe o que eu adoro? Adorei notar que estou com saudade de Londres e amo dizer as pessoas que eu sou brasileira, mas moro em Londres. Sei que estou no lugar certo, sentindo prazer ateh no ar que eu respiro.
Sobre Paris, eu prometo postar fotos em breve…porque tirei 500 ateh agora e ainda tenho mais 2 dias.

Read Full Post »

Roia as unhas no aeroporto. O aviao estava atrasado por uma hora. Nao podia mais esperar um segundo. E na hora que a vi, corri, atrapalhei todo mundo, e fiquei abracada e chorando no meio da passagem do portao de desembarque. Esse eh o aeroporto mais movimentado do mundo e dentre tantas despedidas e chegadas, finalmente, depois de mais de 5 meses, o aeroporto a que cheguei tao solitaria, estava recebendo as pessoas mais importantes do mundo – minha mae e minha irma.

Agora, eu nao quero largar elas um segundo. Dormi abracada, e  o tempo todo beijando, andando de braco dado, rocando rosto no rosto feito gatinho, beijando a mao delas. Aih que saudade que eu estava desse amor que a gente tem…desse nosso jeitinho cute, de sermos as 3 meninas pequenas que vivem berrando, mas que sao as mais unidas desse mundo.

Read Full Post »

Rebeldia sem causa

Fazia tempo que eu queria comentar sobre as noticias de jornal que lia, mas agora, a noticia de jornal invadiu a minha casa. Em Londres, as casas nao tem portoes, tampouco garagem, todo mundo estaciona seus Audis na rua, a gente volta de madrugada para casa, e me sentia segura. Ateh que sabado a noite, meus hermanos espanhois, Davi e Marc, estavam voltando da balada, num bairro bom e cheio de gente na rua, quando 6 rapazes, por pura maldade, decidiram cobri-los de porrada. Derrubaram-no chao, chutaram-lhe a cara, ateh que a policia chegou. Davi levou uns pontos, e Marc estah bastante inchado e com muitos hematomas. E tentando ser positiva, por sorte, nada mais grave aconteceu.

Diferente do Brasil, esses marginais nao bateram para roubar, por terem uma vida dura, ou por qualquer razao aparente, bateram por bater. Eh assustador, mas isso nao eh raro por aqui. Grupos de jovens que batem em qualquer um sem o menor sentido. Aqui, nao vejo noticias sobre armas de fogo, tiroteios, assaltos, mas briga de soco e facas sao corriqueiras, com vitimas de todas as cores, sexo e nacionalidade. O governo tem feito campanha com os seguintes dizeres ‘carregue uma faca e perca sua vida’, mostrando jovens em penitenciarias. E de fato, aqui, eles vao presos. Os agressores dos meus amigos foram pegos e o mesmo aconteceu em outros casos que ouvi. Entao, meu deus, por que?

Parece coisa de crianca mimada que cresceu com tudo e nao tem com o que se revoltar. Aqui, nao ha fome, o desemprego eh baixo (a crise economica jah estah passando, e foi conhecida como crise do golarinho branco por aqui, afetando mais a classe media, do que a classe baixa), e o governo oferece educacao digna, e muitos recursos dentro de uma politica forte de bem-estar social. Entao por que?  Para mim, eh o mais completo non-sense e me faz desacreditar no discurso que sempre tomei comigo de que a violencia em massa eh um problema gerado pela pobreza e falta de oportunidades. Aqui, esses rapazes teriam oportunidade e jogam fora a troco de nada.

Read Full Post »

Older Posts »