Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘curiosidades’ Category

Um dos meus professores disse que os ingleses são tão abertos às culturas de fora, receptivos aos imigrantes, e orgulhosamente multi-culturais, justamente porque tem a completa noção do que são e não tem medo de perder sua identidade.

Além de toda sua história e tradições preservadas, sua identidade é mantida com comportamentos tipicamente ingleses. No site do The Mirror achei uma pesquisa com 5 mil adultos ingleses que revela o que eles acreditam que faz deles britânicos.

Como a visão de quem vê de fora é diferente do olhar de quem vê de dentro, fiz a minha própria lista, com 30 características que ao meu ver são tipicamente inglesas:

  1. Falar sobre o clima (gostam de falar de coisas tristes)
  2. Ficar em filas pra tudo (gente civilizada faz fila)
  3. Sarcasmos e ironias
  4. Ficar bêbados
  5. Amar liquidações (Boxing day é uma loucura!!)
  6. Incapacidade de reclamar
  7. Amar viagens baratas para outros países (as despedidas de solteiras e solteiros não são apenas uma festinha, mas um pacote para Amsterdam, Barcelona, Ibiza pra despirocar muitooo)
  8. Chá com leite e bolachas para relaxar
  9. Parecer desconfortável na pista de dança
  10. Parecer desconfortável quando pessoas falam sobre emoções e não conseguir expressar suas próprias emoções
  11. Ter um inteligente senso de humor (o qual eu nunca consigo compreender)
  12. Ser politicamente correto
  13. Desejar ser bronzeado (a ponto de ficar laranja por causa das sunbeds e maquiagens bronzeadoras no inverno e vermelhaços no verão)
  14. Ter orgulho de onde vivem
  15. Ter auto-crítica aguçada e saber rir de si mesmo
  16. Ser excessivamente educado
  17. Mandar cartões em todas as ocasiões (até mesmo divórcios)
  18. Ser obcecado pela família real
  19. Ser louco pela vida das celebridades
  20. Consertar coisas da casa durante feriados
  21. Almoçar dentro de onibus, metro, trem e nos bancos das praças
  22. Ter o pub como a extensão da sua casa
  23. Ser fã de futebol e torcer por times que nunca ganham
  24. Sair da casa dos pais aos 17 anos e dividir a casa com desconhecidos até se casarem
  25. Ser capaz de comer Marmite, uma geleia amarga, que só ingleses gostam
  26. Comer Sunday Roast obviamente aos domingos
  27. Ler jornal diariamente, seja da qualidade que for
  28. Falar sempre de forma suave, mesmo algo ofensivo
  29. Ser solitário (almoçar sozinho por exemplo é super comum. Restaurantes e cafés sempre tem mesas encontadas em paredes e janelas para uma pessoa só)
  30. Se jogar em qualquer pedaço de grama assim que aparece um raio de sol
Anúncios

Read Full Post »

Alguns filmes em que Londres é um cenário tão relevante que torna-se quase um personagem:

Notting Hill (Um lugar chamado Notting Hill 1999)
A história de amor entre a uma grande estrela do cinema (Julia Roberts) e um pacato dono de livraria em Notting Hill (Hugh Grant). O cenário é um dos bairros mais nobres e encantadores de Londres, onde há uma famosa e muito visitada feira de antiguidades, casas coloridas, brechós com ótimas seleções e cafés e lojas bastante estilosos. A região é próxima a Kensington Garden, onde Lady Di costumava viver.

Love Actually (Simplesmente Amor – 2003)
Romance em Londres significa Hugh Grant no elenco. Em Simplesmente Amor, que também conta com uma ponta do Rodrigo Santoro, Grant intepreta um apaixonado primeiro-ministro do Reino Unido. A número 10 da Downing Street nunca teve um morador tão charmoso.

Closer (Perto Demais – 2004)
O primeiro encontro de Anna (Julia Roberts) e Larry (Clive Owen) acontece inusitadamente no Aquário de Londres e depois caminham a beira do Rio Thamis, onde ele compra balões de ar para o solitário aniversário dela. Na cena, a St. Paul está ao fundo. Um ponto essencial do filme é o passeio de Dan (Jude Law) e  Alice (Natalie Portman) em Postman Park, o jardim aos fundos da igreja de St Leonard, que tem placas com nomes de pessoas morreram para salvar outras. 

Bridget Jones’ Diary (2001) e Bridget Jones the Edge of Reason (2004)
A minha querida Bridget faz compras no Tesco, lê Jane Austen, fuma e bebe compulsivamente, mora sozinha em um pequeno apartamento – uma típica londrina. Sua casa é próxima ao Borough Market, em cima do pub The Globe. No segundo filme, eu até chorei na cena em que ela tem uma briga com o namorado Mark Darcy aos pés da Tower Bridge em um esmagador vestido dourado.

Match Point (2005)
Depois de muito filmar Nova York, mais do que um simples cenário quase um personagem de seus filmes, Woody Allen grava dois filmes em Londres. O primeiro deles – Match Point – trata de uma paixão explosiva usando o tênis (um esporte adorado pela alta sociedade inglesa) como analogia. Há cenas no museu de arte moderna, Tate Modern, rio Thamis, e o casal Chris e Cloe vão morar em um duplex em Westminster com uma vista incrível para o rio, Big Ben e House of Parlament.

meu sonho de consumo

Sherlock Holmes (2009)

O filme de Guy Ritchie sobre o mais famoso ficcional detetive mostra Londres no século XIX. A história é passada nas ruas cheias de ratos, obviamente em Baker Street, onde mora o detetive, e em uma das cenas finais, há um confronto entre o vilão e o detetive na Tower Bridge ainda em construção. As cenas de aventuras também são filmadas na House of Parlament.

Mary Poppins (1964)
No clássico musical com a inesquecível babá interpretada por Julie Andrews sobrevoa Londres de 1910 com seu guarda-chuva com poderes mágicos.

An Education (Uma outra educação – 2009)
Roteiro água com açúcar, mas com uma produção de arte e figurinos de encher os olhos. Ok, o cenário deslumbrante pelos quais os personagens principais suspiram é Paris, mas a grande maioria do filme passa-se em Londres em 1960 que também transborda elegancia. E só não tinha mais charme porque a jovem Jenny ainda não contava com The Beatles e Rolling Stones para ouvir em sua vitrola.

Jean Charles (2009)
Jean Charles – a primeira co-produção cinematografica Brasil e Inglaterra – é baseado na história do brasileiro confudido com terrorista e assassinato por agentes do serviço secreto londino no metrô de Londres em 2005. O filme mergulha no dia-a-dia da comunidade brasileira  – e aqui eu vejo algo que é muito mais familiar que o Big Ben.


Brick Lane (Um lugar chamado Brick Lane – 2007)
Um filme tocante sobre uma muçulmana de Bangladesh que aos 17 anos tem um casamento arranjado com um homem mais velho e vai morar com ele no leste de Londres, bairro chamado Brick Lane. O lado leste de Londres é conhecido por ser região de imigrantes muçulmanos, mas hoje já caiu nas graças dos jovens londrinos, tornand0-se também bairro de bares, lojas, feiras cool.

Read Full Post »

Polland Street em Berthnal Green

Talvez você nunca tenha ouvido falar dele, mas possivelmente alguma de suas obras lhe pareça familiar. Banksy é um artista de rua anônimo com obras pintadas pelos muros de Bristol (sua cidade natal) e Londres.

Eu tive o prazer de me deparar com uma delas por acaso, em Polland Street, no bairro de Berthnal Green, em Londres. Virei fã. Logo, encontrei a mesma obra e outras tantas reproduções em quadros  nas feiras de Convent Garden, Bricklane e Camden Market, além de coleções em livrarias de arte no Soho.

Sempre gostei muito de graffitti. Mas Banksy pra mim é um pouco mais que um artista de rua. Ele cria um dialógo bem humorado através de suas obras, cujo tema principal é o deboche das autoridades. Essa discussão faz muito mais sentido nas ruas do que em museus, como tudo que tende ao anárquico.

Ele poderia estar pelos muros de qualquer grande cidade como São Paulo e Berlim, com tanta vivacidade na arte de rua. Mas Londres, com seu misto de moderno e conservador, me parece o lugar ideal para ser a galeria a céu aberto de um artista como Banksy.

Mais um bom motivo para adorar Londres.

Ps: Para os nacionalistas, deixo claro que adoro São Paulo, porque temos Gemeos e tantos outros artistas anonimos geniais. Acho que poucas cidades no mundo tem um cenário de arte de rua tão efervecente quanto São Paulo. Gustavo e Otávio Pandolfo tiveram sua arte exposta no Museu Berardo em Lisboa esse ano, e em 2008, pintaram a fachado do Tate Modern, em Londres.

Ps2: No Festival de Cinema de Berlim desse ano, foi lançado um documentário sobre Banksy, que manteve seu anonimato e não deu às caras no evento. Exit Through the Gift Shop é do cineastra francês Thierry Guetta.

Read Full Post »

Agora, nao falta mais nada. Quando fui a Paris e Barcelona me encantei com o sistema de aluguel de bicicletas nas ruas. Projetos das prefeituras que fomentava bastante o ciclismo pela cidade. Me perguntava porque Londres nao tinha algo igual. E agora – desde 30 de julho – temos. Sao 5.000 bicicletas disponiveis em 400 pontos da cidade, num raio de 44 kilometros quadrados.

Boris Johnson, prefeito da cidade, espera que as bikes azuis se tornem um simbolo tao comum a Londres como os taxis pretos e os onibus vermelhos. Eu tambem.

Veja como funciona – How it works?

Read Full Post »

Ainda nao cruzei com nenhum deles, mas ateh esse fim de semana, 21 pianos estao espalhados pelas ruas de Londres com os dizeres ‘Play me. I’m yours’. A foto acima mostra um deles, com a Saint Paul Cathedral ao fundo.

Mais um motivo para amar a cidade onde vivo.

Read Full Post »

Foi com pesar que assisti nessa semana ao vivo pela BBC o Jaguar levando David e Sarah Cameron ateh o Palacio de Buckiham e seguir para a n10 (a casa do Primeiro Ministro) e fazer um breve pronunciamento a imprensa. Foi triste, mas democratico, uma vez que o Partido Conservador foi o mais votado no total e tambem conquistou o maior numero de membros no parlamento.

Foi justo certamente, mas questiono o quao democratico eh o sistema eleitoral por aqui. A questao eh que os Conservadores nao conquistaram maioria absoluta para governar o pais (nao tem mais de 50% do parlamento, tampouco dos votos totais). Para ter maioria no parlamento, os Tories formaram uma alianca com o terceiro partido mais votado e terceiro em numero de cadeiras no parlamento, os Liberais-Democratas. A decisao de quem tomaria o poder estava entao na maos dos Lib-Dem e seu aclamado lider, Nick Clegg. Fizeram a decisao correta, ou ao menos a mais justa tentando representar a vontade de seu pais. Porem, os Lib-Dem sao diametralmente opostos aos Tories. Assim, fica facil concluir que somando-se os eleitores dos Lib-Dem (terceiro colocado) e Labours (segundo colocado e rival historico e ideologico dos Conservadores) temos uma maioria absolita Anti-Tories. Entao, serah mesmo democratico que a Inglaterra seja governada pelos Conservadores? 

Embora, temos uma governabilidade prejudicada no Brasil por votarmos separadamente em legislativo e executivo, nos, brasileiros, gozamos do privilegio de eleger por nos mesmos nosso representante no executivo. Assim, se nenhum candidato conquistou maioria absoluta de votos, eu, eleitora, que votei no terceiro colocado, eh que irei decidir quem irah governar o meu pais e nao o lider do partido.

coalizao improvavel

Read Full Post »

Um dia serei rica

Susan, minha professora inglesa, contou que sua filha tem 18 anos e pela primeira vez poderia votar. Entao, Susan perguntou para quem ela iria votar e a garota respondeu que pensava em votar para os Conservadores.

Sua mae reagiu dizendo – Por que?! Voce eh uma estudante. Estudantes nao votam em Conservadores.

E a garota ligeira responde – Hoje, eu sou uma estudante, mas um dia serei rica e eles sao a melhor opcao para os ricos.

– Muito bem. Excelente resposta por sinal. Mas por enquanto voce nao eh rica, entao leia os manifestos e compare antes de ir votar – recomendou a mae cautelosa quase colocando a filha com boas respostas de castigo.

Read Full Post »

Older Posts »