Feeds:
Posts
Comentários

Archive for janeiro \23\UTC 2011

Os ingleses amam fish and chips, mas é claro que o cardápio vai muito além disso. Eu passei um ano maldizendo suas comidinhas e sonhando em voltar a cair de boca no feijão, bife, pão francês, suco de melancia e mamão papaya, mas agora que voltei ao Brasil sinto saudade de algumas gostosuras  que se come com frequência por lá.

Fish and chips – eu não sinto saudade da iguaria. não vejo graça alguma em comer batata frita com peixe empanado,  mas é um clássico e você precisa provar. O estranhíssimo é que os ingleses amam alucinadamente e ainda “incrementam” com vinegre malt, para dar um azedinho à batata.  Eles também apreciam Wedges – batatas cortada em quatro, como flor, e frita, em vez da batata palito. A iguaria pode ser encontrada em qualquer esquina da cidade, do centro ao subúrbio.

English Tea – O típico English Tea é a infusão do chá preto acrescido de leite frio. Eu gosto muito e também adorava ir ao supermercado e ver a imensa variedade de sabores Twilling – deliciosos, perfumados e a preço de banana. Meus favoritos são – Gengibre e Baunilha e Nectar Africano, que vinham em saquinhos. Boas opções de ervas para infusão são encontradas na  Whittard of Chelsea, com várias lojas charmosinhas pela Oxford Street.

Um típico Afternoon Tea vem com chá, scones (pãezinhos macios com passas), cream cheese, geléia de morango,  tarteleles de frutas como blueberry (mirtilo), ou damasco; sanduiches triangulares de pão de forma recheados de pepino e de salmão defumado. O mais tradicional chá é servido no Hotel Ritz, mas você pode economizar seus pounds e provar o chá das 5 no Café Concerto na Regent Street, próximo a Piccadily Circus.

O Full English Breakfast que eu torci no nariz no começo, hoje em dia me faz sentir água na boca. Para mim, a refeição era ideal para fins de semana, em que se acorda tarde e seu café da manhã na verdade é um almoço. Além do chá, inclui torradas, feijão assado (aquele ao molho vermelho, da latinha Heinz), cogumelos refogados, tomate assado, bacon, ovos, e english sausage – algo entre a salsicha e a linguiça. Na Escócia, o prato inclui também Haggis – um processado de fígado de carneiro.


Em casa, come-se muito cereais também, inclusive tem Sucrilhos, que chama-se Frosties por lá. As padarias como as que conhecemos por aqui não são comuns, mas cafeterias como Starbucks são muito populares, seja de grandes redes, ou na lojinha do indiano. Toma-se aquele copão de café ou chá com leite no caminho do trabalho acompanhado de um muffin recheado de ovos e bacon – como o café da manhã que o McDonalds serve por aqui.

Almoço / Jantar – O Sunday roast é o prato típico composto por fatias de carne assada, bovina ou de cordeiro, com gravy (molho de carne), acompanhadas de legumes cozinhos – ervilhas, cenouras, brocolis ou brussels (couve de bruxelas, aquela que parece um repolho em miniatura) – batatas assadas ou purê, e Yorkshire Pie – essa massa assada feita de farinha e manteiga.

A culinária inglesa também conta com uma variação de tortas salgadas. Dentre as preferidas dos ingleses está a Kidney beef pie – massa assada recheada de pedaços de rim, com cebola e cogumelos. Outra tradicional é a Shepherd Pie – pure de batata recheado com carne moida (bovina ou de cordeiro), cebolas e cenouras.

Para os dias mais corridos é comum substituir almoço por um lanche caseiro, ou comprado em cafeterias e supermercados para viagem. Comumente são sanduíches naturais – pão integral com salmão defumado e cream cheese ou recheado de ovo cozido e maionese. Também compõem esse lanche/almoço rápido sucos (de preferencia os viciantes smoothies, que não são diluidos),  iogurtes com framboesa; sopas em tigelas de isopor, saladas, humous com cenourinhas, ciabatas tostadas com recheios de pasta de frango ou atum e até pequenas porções de sushi e sashimi.

Outra iguaria para os mais corajosos é o hiper popular Kebab. Se por aqui, o sanduiche ou wrap de fatias de carne de cordeiro tem pinta de bacana em kebaberias, em Londres, é o equivalente ao nosso churrasco grego, encontrado nas budegas mais sujas.

Sobremesas – Aqui, eles capricharam. Cup Cakes e muitos glaces, Muffins de Blueberry ou Chocolate; muito chocolate bom e  barato, tarts de mil berries, ginger bread (aquele bonequinhos de natal), brownie, bolo de cenoura com passas e glace, bolo de frutas, chesecakes, mousse de chocolate com menta, apple crumble – tudo acompanhado de custard (um creme leite, ovo e açúcar).

Bebidas -Guaraná e água de coco só são encontrados em em restaurantes brasileiros. Sucos verdadeiramente naturais custam fortunas. A solução são smoothies – quase um pure de fruta – vendidos em garrafas ou Tetra Parks nos mercados. Eles também tomam Ribena um concentrado de blackcurant – uma fruta que nunca vi – que lembra groselha.

Felizmente, o café não é tão ruim como eu esperava, mas não é como o nosso. Há zilhões de cafeterias por todos os lados, mas eles costumam tomar café tipo americano, mais fraco e em grande quantidade, como Starbucks. A rede tem lojas a cada quarteirão, vizinhas de outras 4 grandes redes concorrentes, de qualidade superior. Há espresso, mas são extremamente forte e curtíssimos, equivalente ao nosso café curto. Se pedir um double, virá maior quantidade, mas com um jato bastante concentrado. O bom é que usam sempre brown sugar – parente do açúcar mascavo.

Os alcoolicos são consumidos como se não houvesse amanhã, porém jamais nas ruas e transporte público, já que é proibido. As cervejas em lata e principalmente as drafts (chopp) são uma delicia,  encorpadas, mais amargas, e com sabor forte. As Ales são as mais amargas e só recomendadas para os iniciados. Não são servidas quente, mas para apreciar o sabor, a bebida é servida fria, e não estupidamente gelada como no Brasil.

Bebida de mulher é Cider – que na tradução é cidra,  uma cerveja de frutas. Minhas favoritas são de elderflower, maça, pêra e gengibre. As principais marcas são Magners, Bulmers e Gaymers. Aliás, a Ginger Ale ou Beer, apesar do nome,  são apenas refrigerantes de gengibre – e estão na lista das minhas maiores saudades. 


Drinks em baladas são risíveis – com shots mínimos de vodca – tudo muito fraco e caro. Vale mais a pena fazer esquenta em casa mesmo. Vinhos são deliciosamente baratos – italianos, espanhois, portugueses, chilenos, californianos e sul africanos, por 5 pounds a boa garrafa.

Restaurantes do mundo todo – em Londres há restaurantes do mundo todo a preços variados, muito pela influencia dos imigrantes. No Soho, há uma boa concentração de cantinas italianas; O Café Rouge é uma rede francesa bastante acessível. Dentre os orientais, a moda do temaki em SP é substituida pelo Noddles (miojo incrementadissimo) – opção barata e substanciosa para matar a fome. Próximo a Leicester Square tem a China Town com vários restaurante típicos. Também há vasta gama de restaurantes espanhois, brasileiros, mexicanos, colombianos e argentinos na cidade. Mas a grande riqueza são os Vietnamitas, Turcos, Indianos, Gregos e Tailandeses.

Hot-dog – Até isso é diferente. A salsicha que comemos eles chamam de Frankfurt, e servida com pão vira o American Hot Dog. Acompanha maionese, mostarda, catchup ou brown sauce a gosto do freguês. Para incrementar, cebola e queijo cheddar ralado (cheddar é o queijo ingles, muito gostoso, bem maturado, e não é aquele laranja cremoso que você está pensado). Já o hot dog inglês leva a english sausage, que lembra mais a nossa linguiça do que a salsicha. Essa sausage é grelhada e não cozida, e uma quantidade generosa de cebola frita vai ao topo. O cheiro que vem das barracas é alucinante.

Frutas – Um mamão papaya custa uma fortuna, então adapte-se as frutas locais. Aliás a maior parte delas, assim como leite, ovos e vegetais, são organicos. Abuse de pessego, ameixa, nectarina, cereja, blueberry, morango, kiwi, uva rosada, framboesa, maça, pera, amora. Você encontra facilmente banana, manga, laranja e tangerina a preços módicos. As tangerinas são deliciosas, mas a banana é bem menos saborosa que a nossa.

Read Full Post »